SÓCIOS
Maršo 2023

ARTIGOS DO MÊS
 

Watch and wait strategies for rectal cancer: A systematic review

In Ja Park 

O presente artigo versa um tema muito atual, presentemente, um dos assuntos mais discutidos e publicados do tratamento do cancro do reto, a estratégia Watch and Wait.

O artigo foi publicado em 2022 na revista Precision and Future Medicine, é uma meta análise cuidadosa e bem feita que revisita os resultados oncológicos de todos os estudos relevantes envolvendo a estratégia Watch and Wait, desde o estudo pioneiro, de 2004, da Angelita Habr Gama, até ao estudo de Wang de 2020.

Muito importante, nesta meta análise, é a discussão do papel do TNT (total neoadjuvante therapy) na estratégia Watch and Wait, nomeadamente a discussão dos resultados do estudo RAPIDO com quimioterapia de consolidação, do estudo PROGRIDE- 23 com quimioterapia de indução e os resultados preliminares do estudo OPRA que compara os resultados oncológicos entre um braço com quimioterapia de indução e outro braço com quimioterapia de consolidação.

Considerei particularmente importante a seleção deste artigo, num mês em que o XLIII

Congresso Nacional de Cirurgia, que decorre no Estoril de 23 a 24 de março de 2023, conta com a presença da Professora Angelita Habr Gama que proferirá a conferência

“Watch and Wait Strategy for Treatment of Rectal Cancer. Long-term results after 30 years.”.

Review Article
Precision Medicine

Precision and Future Medicine 2022; 6(2): 91-104.
Published online: December 27, 2021
DOI: https://doi.org/10.23838/pfm.2021.00177

 

Watch and wait strategies for rectal cancer: A systematic review
In Ja Park

Department of Colon and Rectal Surgery, Asan Medical Center, University of Ulsan College of Medicine, Seoul, Korea

Corresponding author: In Ja Park Department of Colon and Rectal Surgery, Asan Medical Center, University of Ulsan College of Medicine, 88 Olympic-ro 43-gil, Songpa-gu, Seoul 05505, Korea Tel: +82-2-3010-3937 E-mail: [email protected]

Received October 21, 2021 Revised November 17, 2021 Accepted December 6, 2021

© Copyright 2022 Sungkyunkwan University School of Medicine This is an Open Access article distributed under the terms of the Creative Commons Attribution Non-Commercial License (http://creativecommons.org/licenses/bync/4.0/).

Abstract

Watch and wait (WW) strategies have been suggested for patients with clinical complete regression (cCR). The WW approach was first introduced by Habr–Gama in patients with cCR after neoadjuvant treatment. Actually, it is not “no surgery” but “deferral of surgery;” therefore, the WW approach or non-operative management is a representative term currently. The number of publications regarding WW for rectal cancer has increased abruptly. We conducted a systematic review of PubMed for literature published on WW. It is now one of the most interesting issues in rectal cancer treatment. Many studies have reported comparable overall survival with WW and radical resection. However, a high local regrowth rate is a problem, and proper salvage management is the main concern in the WW approach. Adequate patient selection is necessary to achieve favorable oncologic outcomes. However, the appropriate definition and diagnostic method for cCR have not yet been clearly defined. Indeed, advances in local control have not translated into overall survival improvement, and many efforts have been made to improve distant metastasis control and overall survival and improve clinical response to preoperative chemoradiotherapy. In this review, oncologic outcomes, ongoing efforts to improve oncologic outcomes, and limitations for clinical practice were evaluated and described.

Keywords: Clinical complete regression; Neoadjuvant therapy; Rectal neoplasms; Watch and wait

3 % polidocanol foam sclerotherapy versus hemorrhoidal artery ligation with recto anal repair in hemorrhoidal disease grades II-III: a randomized, pilot trial
 

Escolho este artigo, de autores portugueses, publicado este mês de março, na Revista Espanola de Enfermedades Digestivas, dada a mudança do paradigma no tratamento da doença hemorroidária nos últimos anos, sobretudo no que respeita ao tratamento instrumental.

Se no consenso português de diagnóstico e manejo da doença hemorroidária, publicado em 2019, no GE – Portuguese Journal of Gastroenterology, a laqueação elástica é recomendada como tratamento de 1ª linha para hemorroidas grau II e em doentes selecionados com hemorroidas grau III que não respondam ao tratamento médico, estudos posteriores, que comparam o uso do polidocanol espuma com a laqueação elástica, mostraram maior eficácia da terapêutica com o agente esclerosante e com menos complicações.

Além disso, um estudo prospetivo e multicêntrico, publicado em 2022, na Techniques in Coloproctology, mostrou que a esclerose com polidocanol espuma é segura em doentes com distúrbios hemorrágicos.

Assim, a esclerose com polidocanol espuma tem sido cada vez mais usada na prática clínica.

Este é o primeiro estudo randomizado que compara a terapêutica instrumental usando o polidocanol espuma com o procedimento cirúrgico menos invasivo – a ligadura da artéria hemorroidária transanal guiada por doppler com ou sem reparo reto-anal (HAL-RAR) em doentes com doença hemorroidária graus II e III.

O sucesso terapêutico global foi similar entre os 2 grupos, contudo a taxa de sucesso completa foi superior com o polidocanol espuma; o grupo HALRAR apresentou maior incidência de complicações minor, sobretudo dor, e conduziu a período de abstinência laboral muito superior.

Tem como principal limitação um número reduzido de doentes (compara 22 doentes tratados com polidocanol espuma com 24 submetidos a HALRAR), mas através do protocolo usado poderá realizar-se, posteriormente, um ensaio controlado e randomizado com um grande número de doentes, possibilitando também a avaliação dos resultados a longo prazo de ambos os procedimentos.                                                          

                                                                                         Ana Lúcia Sousa
LER ARTIGO